quarta-feira, 20 de julho de 2011

Lendas e Mitos da Comunidade

Iniciei a atividade Lendas da Comunidade na qual inicialmente tenho entrevistado algumas pessoas acerca das lendas e fatos populares ocorrentes principalmente nos antepassados da comunidade. A seguir citarei algumas lendas contadas por crianças, jovens e adultos da comunidade.




Por José Arimateia (49 anos) e Maria das Graças (47 anos)

Segundo relato desses moradores os avós deles contavam e hoje eles recontam que em Areia Branca havia um homem chamado Manezinho que durante as noites se transformava em lobisomem e assombrava os moradores da rua nas proximidades do atual Campo de Futebol Gentil Fernandes. Eles afirmam que anos antes deste homem falecer já não virava mais lobisomem pelo fato de existir energia elétrica e a família dele descobriu que ele passava por esta sinistra transformação quando ele chegava em casa com as vestes rasgadas e os braços arranhados.

Segundo Francisca das Chagas (62 anos), esta lenda narra um fato que ocorreu no cemitério da cidade e que por já terem se passado muitos anos ela não lembra com veracidade de dados o que ocorreu, mas ela tentou descrever da seguinte maneira: - Certo homem ao voltar de um sepultamento ficou por mais tempo que as demais pessoas no cemitério e ouviu um chamado de uma voz que clamava por fósforo para acender um cigarro. Ele muito curioso aproximou-se para ver do que se tratava e chegando cada vez mais perto da voz subiu no muro para ver do que se tratava. Porém ele surpreendeu-se, pois quem pedia o fósforo não era uma pessoa constituída de matéria, mas sim o espírito da pessoa que havia falecido e sepultada a poucos minutos, na qual estava com os dentes dourados e os olhos como chamas de fogo que fez este homem correr e fugir de pânico.

Segundo Thalía Izabella (14 anos) a avó dela contava que antigamente havia uma burrinha que perseguia os moradores nas noitadas areiabranquenses. Ela também relata que na verdade esta burrinha era um homem que sofria esta trágica transformação por ter recebido uma maldição de família.

Por Rafael Pereira (21 anos)

- Certo dia do mês de junho de 2011 ele estava na casa do ancião onde trabalha quando repentinamente viu passar uma mulher com mais de dois metros de altura com vários anões em volta dela, que ficaram apoiados no muro e observando as pessoas ao redor. Ninguém viu isso, somente ele que ficou surpreso com as vestes destes seres (roupas pretas e olhos vermelhos) que o assustaram. Segundo ele, eram demônios que vinham tragar as almas e aquela mulher de dois metros de altura era a líder dos anões diabólicos.

Por Dayane Gregório (10 anos)

Esta criança soube desta lenda através de um programa de TV, onde ficou tão assustada que comentou com a mãe e irmãos. A lenda relata sobre filhos desobedientes, onde um garoto chamado Joãozinho vivia infernizando a vida de todos que estavam a sua volta e tinha prazer em deixar sua mãe com raiva. Certo dia ele fugiu de casa e deixou todos aflitos. Talvez este tenha sido o último dia que ele viveu como pessoa, pois nunca mais ele retornou à sua casa, mas todos os dias vagava pelas ruas inquietando as pessoas. Segundo Dayane, ele foi atropelado por um trem e desde então sua alma vagava pela terra e nunca teria paz e descanso.





Há uma diversidade imensa entre as lendas e fatos contados por cada um, pois é esta diferença que nos motiva a viver e nos dá forças para enfrentar as dificuldades da vida. Breve postarei mais lendas e reunirei todos que as contaram na produção de um vídeo. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário