quinta-feira, 28 de julho de 2011

Poema do Monitor Abidias

Neste espaço deixarei um poema criado pelo colega monitor Abidias Rocha que reside na Bahia, como forma de ajuda no compartilhamento e divulgação. Espero que gostem e o espaço está aberto para comentários. 

MEU LAMENTO (UM POEMA DE DESABAFO)

Descrevo meus lamentos em forma de versos
Desejei o tudo e o nada
Mais eis que consegui o ultimo dos dois; saborei-me 
Como pude, sacie-me como um desvalido e sedento por água das delicias do pecado.

Mesmo sendo o miserável dos miseráveis,
Fui amado, aplaudido e na contrapartida
Um ser odiado; mas por quem?
Meus inimigos são inumeráveis
Meus gritos são ensurdecedores, mas, debalde corro ao socorro do acaso, pois, o mesmo Jamais existiu, apenas Deus, esse sim, existe antes da existência do existente.

Busquei forças mais sem sucesso,
Busquei ajuda nas portas do conhecimento (livros)
Mais o vazio ainda existia dentro de mim; Schopenhauer sendo o filosofo e psicologo da Vontade não me trouxe luz esclarecedora para minhas lutas;
Platão, Sócrates, Aristóteles e todos os outros que me ensinaram algo,
Confesso, não conseguiram preencher o maldito vazio que me entristece e me faz sofrer; Continuo minha jornada as vezes sem sentido e sem direção.

Me restaram apenas duas palavras de consolo:

“Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará”
(João 8:32)

“Considera-se a tragédia, e com razão, o gênero poético mais elevado, tanto do ponto de vista da dificuldade do trabalho em si mesmo, tanto da impressão que produz no espectador” (A Memória Viva de Schopenhauer [páginas 156 e 157] [Edição de 1952]].

ABIDIAS ROCHA [18.07.11]

Um comentário: