segunda-feira, 29 de agosto de 2011

ATIVIDADE: Registro da história dos mestres da comunidade

Realizei uma entrevista com o Sr. Manoel Davi da comunidade de São Cristóvão, onde questionei sobre fatos da vida dele. Confira!

Eu e o mestre Manoel Davi

1) Você nasceu aqui? Quando chegou aqui?
Não nasci aqui. Nasci na cidade de Apodi, com 3 meses me mudei para Mossoró e há 6 anos me mudei para a comunidade de São Cristóvão no município de Areia Branca.

2) Quando era pequeno, do que brincava?
As brincadeiras eram muito diferentes do que se vê hoje. Eu lembro que jogava bola na rua, jogava pião, atirava com baladeira, brincadeiras de rua mesmo. Hoje a realidade é que nossas crianças abandonaram essa cultura e passam maior parte do tempo em vídeo-game, computador, celular e esquecem o contato e da vivência do dia a dia. Isso acaba prejudicando elas mesmo, por isso na minha comunidade eu deixo bem claro para as crianças que há momento para fazer tudo, inclusive para poder jogar vídeo-game. Assim as deixo brincar ao ar livre, para que possam crescer fortes.

3) Quando você cresceu, do que mais gostava de fazer? 
Quando comecei a crescer fui criando meus próprios pensamentos e descobrindo aquilo que eu gosto de fazer. Me identifiquei com a área eletrônica com 13 anos de idade e desde então estou nessa área e migrei nos últimos anos para a área da informática.

4) Como era a cidade?
A comunidade era bastante tranqüila, na verdade ainda é. Diferente de muitos lugares onde as drogas e violência são os causadores da destruição. Acredito que hoje as pessoas não têm liberdade de se divertir, ficar na calçada conversando, brincando nas ruas por causa da violência. Foi por este motivo que me mudei de Mossoró para comunidade São Cristóvão, porque estava precisando ter paz e respirar ao ar livre. Nas décadas de 50, 60, Mossoró tinha cerca de 40 mil habitantes, hoje tem quase 300 mil. Aí a violência tomou conta da cidade. Já em São Cristóvão todo mundo se conhece e tem uma convivência maravilhosa.

5) E hoje, na cidade, o que mudou? 
Mudou muita coisa na minha comunidade, pois antes se contavam as casas e hoje a cidade é bem urbanizada.

6) Se quiser, escolha uma cena marcante da sua vida na cidade e conte para nós. 
A cena que marcou não só a mim, como a todos da comunidade foi a chegada da água potável há três anos, pois antes a gente sofria muito para pegar água nas cisternas e dependíamos dos carros-pipa.

Como foi ouvir histórias dos mestres e mestras?

Foi uma experiência maravilhosa, pois pude ouvir o relato de pessoas atuantes e marcantes da comunidade. O Senhor Manoel Caetano do Carmo Davi (64 anos) tem uma história de vida muito marcante e eu o considero como um “Mestre da Comunidade” por desenvolver várias atividades comunitárias na Associação de Desenvolvimento Social e Comunitário (ADESC), na Comunidade Católica e no Telecentro da Pesca Maré, ambos na Comunidade de São Cristóvão, no município de Areia Branca, RN.

Um comentário:

  1. Davi, meu eterno professor da TELERJ, preciso do seu telefone, pois, fui assaltado e quero ir te visitar em Natal. Um abraço, Vinícius Ramos Lima (21)2663-2832, amigo da TELERJ.

    ResponderExcluir